Aumento do número de atendimentos a imigrantes faz CRAI mudar de espaço

O Centro de Referência e Atendimento para Imigrantes (CRAI) precisou mudar de endereço e ampliar o espaço devido ao aumento do número de atendimentos. A mudança está inserida dentro da nova proposta do termo de Governo, assinado entre a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania e o Sefras (Serviço Franciscano de Solidariedade) que visa além da expansão do local, crescimento da equipe com a contratação de agente de empregabilidade, um educador social e mais um assistente social.

O novo convênio traz como foco de atuação a área de empregabilidade e maior aproximação com as comunidades, além de outras atividades. O CRAI oferece atualmente atendimento para produção de currículo, encaminhamento para cursos profissionalizantes e de português, orientações sobre ingresso no ensino técnico e superior e encaminhamento de perfis para vagas abertas por outros parceiros da rede. Ainda, há um foco na formação técnica da população imigrante para o mercado de trabalho, assim como na sensibilização de empregadores, incluindo diretores e equipe de Recursos Humanos.

Com a mudança, o novo espaço pretende aumentar o número de atendimentos realizados, que já havia triplicado em comparação com o ano passado. São atendidos venezuelanos, angolanos, haitianos e migrantes de mais outras 56 nacionalidades. “No último mês, o CRAI realizou 1.019 atendimentos e com a mudança, a expectativa é de que o número aumente a princípio para mais de 20%, por conta de mais salas para o atendimento social e do amplo espaço para as ações socioeducativas”, afirma a coordenadora do serviço, Sávia Cordeiro.

O novo espaço fica na Rua Major Diogo, 834, no bairro da Bela Vista, Centro – São Paulo. A nova sede fica de portas abertas para o atendimento de segunda a sexta, das 8h às 17h. Os telefones para contato são (11) 2361-3780 e (11) 2361-5069. Os atendimentos são realizados em sete idiomas: português, inglês, espanhol, francês, quéchua, lingala e árabe.

Sobre o CRAI

O CRAI atua na promoção dos direitos dos migrantes no Brasil através de uma perspectiva de direitos humanos, sempre objetivando a integração social, produtiva, política e cultural dos atendidos. Neste sentido, o serviço oferece orientações sobre documentação e regularização migratória, atendimento social e psicossocial e atendimento jurídico especializado a partir de uma parceria com a Defensoria Pública da União.

O serviço também organiza rodas de conversa, oficinas, entre outras atividades para os participantes. Um ponto que se destaca na atuação do CRAI está na construção – junto às comunidades, sociedade civil e poder público – de políticas públicas de proteção ao migrante.

O CRAI iniciou suas atividades em novembro de 2014 dentro de um contexto de construção de políticas públicas voltadas para a população imigrante da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, que convidou o Sefras para administrar o serviço em parceria com a Prefeitura de São Paulo. Com isso, o CRAI passou a realizar atendimentos institucionais e itinerantes, além de atividades que o serviço desenvolve com o público atendido.

Sobre o Sefras

O Sefras é uma rede de serviços socioassistenciais dos frades da Província Franciscana Imaculada Conceição do Brasil que atua no acolhimento e na promoção humana visando o combate as desigualdades sociais. O Sefras presta atendimento continuado atualmente nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro onde mantem 11 serviços, sendo 8 no município de São Paulo/SP, 1 em Tanguá/RJ, 1 em Petrópolis/RJ e 1 em Duque de Caxias/RJ. Em cada local há um público-alvo específico, que são: crianças, adolescentes, idosos, pessoas em situação de rua, catadores de reciclagem, imigrantes, refugiados, pessoas convivendo com HIV/AIDS, adolescentes em medida socioeducativa e pessoas encarceradas.

Constituída como associação privada, sem fins lucrativos, de defesa de direitos, o Sefras busca, além do atendimento, transformar as realidades que se faz presente através da participação em conselhos e fóruns e em mobilizações sociais, visando à execução do controle social, a efetivação de direitos pelas políticas públicas e denúncia de violações.

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: