O Bairro Que Mantém Sua Tradição – A Freguesia do Ó

História de São Paulo

A história da Freguesia do Ó, um bairro com mais de 430 anos, começa com a chegada do bandeirante português Manoel Preto que construiu sua fazenda próxima às margens do rio Tietê, no ano de 1580.

No começo, a região era adotada apenas como um lugar de descanso para os exploradores, que iam em busca de ouro, no Pico do Jaraguá. Anos depois, a Freguesia encorpou-se como um forte polo da economia agrícola com sua plantação de cana-de-açúcar, destinada, inclusive, para a fabricação da clássica “Caninha do Ó”. Essa característica a acompanhou até o início da urbanização paulistana.

O nome do bairro, como todos sabem, vem de uma santa e, por isso, a religiosidade acompanha os moradores da região desde sua fundação. O bandeirante dono da fazenda, ao observar que os antigos moradores precisavam se deslocar até a Sé para assistir às missas, construiu a capela Nossa Senhora da Esperança.

A primeira missa no Ó ocorreu no dia 18 de setembro de 1615, embora o historiador Azevedo Marques fale em 1610, como sendo a data de fundação da capela, chamada então de Nossa Senhora da Esperança. A palavra Freguesia, aliás, vem do latim Filli Eclesiae e significa “Filhos da Igreja”. A região, aliás, é a única parte da cidade que manteve a palavra que indica a forma de divisão da igreja.

Construção da Ponte da Freguesia do Ó nos anos 60
Construção da Ponte da Freguesia do Ó nos anos 60

Contudo, devido aos estragos causados pelo tempo, foi substituída por uma igreja feita de taipas em 1794. Porém, o incêndio dela em 1896, que aconteceu quando um sacristão tentou queimar um enxame de abelhas, obrigou os habitantes a construírem outra, esta maior, em um novo local e batizada com outro nome. Nascia, assim, a Nossa Senhora do Ó, no novo Largo da Matriz, um dos orgulhos do distrito.

Além desse importante ponto, a região da também é conhecida pelas festas que fazem parte do seu calendário: a Festa do Divino em abril, Assentamento da Cruz em maio e da Nossa Senhora Ó em agosto. O Carnaval também é tomado no bairro com a quadra da heptacampeã e destacada escola de samba, Rosas de Ouro.O Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso também é uma opção de entretenimento e lazer. Oficinas, cinema, espetáculos de teatro, dança e música dão o tom para o espaço que homenageia a ex-primeira dama brasileira.

A Curiosidade Por Trás Do Nome

Segundo o jornal “Freguesia do Ó News”, da 2ª quinzena de agosto de 1991, o nome do bairro está diretamente ligado á tradição católica do povo brasileiro, cujas povoações sempre se desenvolveram em torno de uma igreja.

O bairro foi fundado sob a invocação de Nossa Senhora da Espectação (ou Esperança) do Bom Parto e São José. O “ó” surgiu em razão dos cânticos religiosos, em cujas antífonas (versículo cantado) se pronunciam a vogal ó ( nas invocações). Com o tempo, passou de N. S. da Espectação do Ó (já abandonado o Bom Parto e São José) para simplesmente Nossa Senhora do Ó.

1 thought on “O Bairro Que Mantém Sua Tradição – A Freguesia do Ó

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *