Um Artista Esquecido – A História de José Wasth Rodrigues

Poucos paulistanos conhecem José Wasth Rodrigues, artista de extremo talento que nasceu na nossa amada cidade e deixou algumas marcas que são conhecidas até hoje. Embora tenha sido um profissional de primeira linha não é comum que se dê os devidos créditos e lembranças ao seu grande trabalho.

Wasth nasceu no ano de 1891 e foi um talentoso pintor, desenhista, ceramista, ilustrador, historiador e professor. Entre seus grandes mestres esteve Oscar Pereira da Silva, companhia que desfrutou até o ano de 1909. Em 1910, como pensionista do governo do Estado de São Paulo, Wasth viaja para Paris a fim de aprimorar suas habilidades.

Ele se matriculou na Académie Julian e na École National des Baux-Arts, locais onde teve a oportunidade de aprender com grandes mestres da época, como Lucien Simon, Nandi e Jean-Paul Laurens. Após todas essas especializações, ele voltou a São Paulo em 1914 e, dois anos depois, inaugurou, junto com Georg Elpons e William Zadiq um curso de desenho e pintura.

A partir de então, ele faria trabalhos que o colocariam no hall de grandes artistas da cidade de São Paulo. Em 1917, com Guilherme de Almeida, ele desenha  o brasão da cidade de São Paulo; no ano seguinte ele inicia estudos sobre história colonial, e é um dos pioneiros na análise sistemática das atividades artísticas praticadas nesse período.

Brasão_da_cidade_de_São_Paulo.svg

Durante sua vida, ele realizou diversas ilustrações de livros entre eles: Urupês, de Monteiro Monteiro Lobato (1882 – 1948), Uniformes do Exército Brasileiro 1720-1922, de Gustavo Barroso (1888-1959), Brasões e Bandeiras do Brasil, de Clóvis Ribeiro (1933), e Vida e Morte do Bandeirante, de Alcântara Machado (1875 – 1941).

Igreja e Mosteiro de São Bento
Igreja e Mosteiro de São Bento

Entre 1935 e 1936, realiza projeto para a restauração dos bancos e das grades de ferro da Igreja de Nossa Senhora do Rosário, em Ouro Preto. De sua autoria são publicados os seguintes estudos: Documentário Arquitetônico Relativo à Antiga Construção Civil no Brasil (1945), Mobiliário do Brasil Antigo e Evolução de Cadeiras Luso-brasileiras (1958).

Wasth também ficou conhecido por fazer diversos  retratos de personagens históricos como, por exemplo, o de João Ramalho e Martim Afonso de Souza. Além disso, ele também pintou famosas aquarelas de vistas da cidade de São Paulo, com base em desenhos realizados por viajantes que aqui estiveram no século XIX, principalmente por Hercule Florence (1804 – 1879). Ele faleceria, aos 66 anos, no Rio de Janeiro.

Igreja do Colégio
Igreja do Colégio

Para conferir algumas outras obras do autor, só seguir aqui:  http://tudoporsaopaulo1932.blogspot.com.br/2012/01/sao-paulo-antigo-por-jose-wasth.html

5 comentários em “Um Artista Esquecido – A História de José Wasth Rodrigues

  • 25 de janeiro de 2017 em 16:04
    Permalink

    Tenho obras do artista josé Wasth Rodrigues, e ainda procuro mais para ter uma bela coleção do que este artista poaulista, excepcional, produziu………..

    Resposta
  • 14 de julho de 2017 em 15:32
    Permalink

    Estou adorando essas histórias. Realmente temos muitas coisas para aprender sobre a nossa cidade!!

    Resposta
  • 7 de novembro de 2017 em 10:39
    Permalink

    Bom dia, busco localizar o quadro “Batalha dos Farrapos” de José Washt Rodrigues. Em publicação da extinta editora Bloch há esta imagem e menciona a Prefeitura Municipal de São Paulo como detentora do quadro. Tentei alguns contatos, mas foram infrutíferos. Vocês poderiam me ajudar a localizar esta obra? Obrigada. Att., Maria do Céu

    Resposta
  • 17 de dezembro de 2017 em 17:14
    Permalink

    Estou lendo “Tropas Paulistas de Outrora”, de José Wasth Rodrigues. Engraçado é esse sobrenome “Wasth” que ñao parece ser de origem “luso-paulista”, por assim dizer, e é de uma familia tradicional paulista, pelo que sei, antes da grande imigração de europeus. Gostaria muito de achar a origem desse sobrenome.

    Resposta
  • 26 de dezembro de 2017 em 17:19
    Permalink

    Estamos produzindo unm documentário sobre a Revolução Farroupilha (1835-1845) e gostaríamos de utilizar imagens de um quadro do pintor Wasth Rodrigues sobre o tema.
    Caso esse blog tenha algum contato dos detentores dos direitos autoriais, ficaria grato caso nos pudessem fornecer.
    Abraço-
    Luiz Fonseca
    luizgf@uol.com.br

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *