O Charles Edward E O Clube do Whisky em SP

Um dos clubes do whisky mais famosos de São Paulo, o Charles Edward, aparece de novo aqui na SP In Foco. Mas, dessa vez, surge como parte da memória intangível da cidade.

Surgido em 1995, pelos antigos donos do Miller & Godard, seu nome é oriundo dos dois personagens que emprestavam seus nomes ao outro bar: Charles Miller e Edward Godard, que eram sócios e corretores de café em Santos. No ano seguinte surge Kyko Dias que possuía uma corretora no mercado financeiro e sempre quis ser proprietário de um bar. Ele resolve investir e comprar 25% do Charles Edward, mas começou a reparar que muitas coisas poderiam ser melhoradas e aceleradas.

Como sua participação ainda era mínima, ele decide comprar mais 25% e gerenciar o empreendimento. Em 2008 ele compraria os 50% faltantes e se torna proprietário máximo da casa junto com a sua esposa da época, Dudu Veiga.

O Clube do Whisky

Desde o seu surgimento, o Charles focou seus esforços em vender whisky. Claro que, com o tempo, a fidelização dos clientes foi acontecendo e o clube acabou surgindo naturalmente. E tudo funciona de uma maneira bastante simples: o cliente compra a garrafa de Whisky – por um preço mais vantajoso do que o da dose da bebida –  e ela fica em nossa prateleira por 3 meses, período em que o dono da garrafa pode utilizá-la.

O grande diferencial do Charles em relação às outras casas foi que os clientes não perdiam mais as garrafas, após os 3 meses. Para dar esse suporte aos consumidores, foi pensado e criado o Clube Virtual onde, após três meses, o cliente perde apenas a garrafa física – em virtude da falta de espaço -, mas a mesma é medida e as doses remanescentes ficam como um crédito, num programa que foi especialmente criado para isso.

Já aconteceu de clientes aparecerem após 10 ou 15 anos da compra e ficarem surpresos por encontrarem as suas doses. Isso com certeza foi um diferencial para fazer o Clube crescer e, hoje, o Charles tem mais de 4 mil garrafas ativas. Estima-se que cerca de 100 mil pessoas passaram pelo clube do Charles e, em 21 anos, mais de 2.000.000 de clientes passaram pelos seus salões.

As Curiosidades

Entre as passagens mais interessantes que já aconteceram no Charles Edward, vale lembrar de alguns episódios como quando a quando a Diageo mudou o seu logo, invertendo o sentido do STRIDMAN – que passou a caminhar para a direita ao invés da esquerda, como era até então – não foi feita uma grande divulgação.

Uma vez,  um cliente comprou uma garrafa de Johnnie Walker Red Label e quando a mesma foi colocada na sua frente ele ficou indignado e dizia que a garrafa era falsa e tão grotescamente falsa que o homenzinho estava do lado errado. O Kyko foi conversar com o cliente e tentou explicar, mas a pessoa estava irredutível, falamos com a companhia Diageo e esse cliente foi convidado a ir fazer uma degustação completa.

Outra passagem de muito orgulho para o bar fica por conta de um final de semana da Fórmula 1, quando um Italiano foi ao bar e disse que havia vindo no ano anterior e comprado uma garrafa de whisky e que não tinha consumido ela inteira e queria saber se ainda tinha a garrafa. Nossa chefe de bar encontrou o cadastro dele no sistema e informou que ele não tinha mais a garrafa, mas tinha direito a 10 doses , que era o que tinha sobrado na garrafa. O cara ficou muito feliz e disse que era o bar mais honesto que ele já tinha visto no mundo e que ele era mecânico da Ferrari, no dia seguinte ele voltou com toda a equipe de mecânicos da Ferrari no bar.

Por fim, no ano 2000 a Diageo nos ofereceu o prêmio do bar que mais vendia Johnnie Walker por metro quadrado no mundo, pois em uma visita de um diretor escocês da empresa ficou impressionado com o volume em um bar tão pequeno – o antigo Charles tinha apenas 250m².

 

 

Holy Burger: Gabriel@holyburger.com.br

Bullguer: Ricardo@bullguer.com

São Paulo Hostel: paulohenriquemlima@gmail.com

 

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

%d blogueiros gostam disto: