O mistério dos dragões (ou grifos) do Museu do Ipiranga

O complexo do Museu do Ipiranga, um dos pontos turísticos mais importantes do país, possui um detalhe que poucas pessoas percebem: as calçadas da entrada principal do Parque da Independência.

Formadas por pedras portuguesas, o local tem um belo desenho de dragões (ou grifos), que se tornaram tema de um belo debate histórico na cidade. O jornal Bom Dia SP, da TV Globo, fez uma bela série de curiosidades que só podemos ver do “alto” e destacou esse detalhe. Vale dizer que, a Prefeitura de São Paulo justificou que os grifos seriam para “enobrecer o jardim do Museu”.

Imagens do Museu do Ipiranga. Local: São Paulo/SP Data: 26/03/2019 Foto: Governo do Estado de São Paulo

Entretanto, existe uma outra explicação que muda até o conceito das figuras: elas seriam, na verdade, dragões. E a justificativa é muito simples: quando proclamou a independência do Brasil, Dom Pedro I era escoltado pela Cavalaria de Guardas Dragões da Independência.

O ano oficial da criação dos atuais Dragões da Independência é 1808, quando foi organizado o 1º Regimento de Cavalaria do Exército. O dia 13 de maio foi escolhido para assinatura do decreto de sua criação, pois era aniversário de Dom João VI, então príncipe regente.

Em 1936, por meio de decreto, o então 1º Regimento de Cavalaria passou a ostentar a denominação histórica “Dragões da Independência”. Era a concretização da idéia do deputado Gustavo Barroso, que sugeriu esse título em um projeto de lei na Câmara dos Deputados, em 1917.

1º Regimento de Cavalaria de Guardas – Dragões da Independência

A farda característica dos Dragões da Independência foi concebida pelo pintor francês Jean Baptiste Debret, durante a missão artística francesa no Brasil, em 1816. O fardamento homenageia a Imperatriz Maria Leopoldina, arquiduquesa da Áustria, e tem inspiração na tropa de Cavalaria de Dragões daquele império.

Quando foram transferidos do Rio de Janeiro para Brasília, em 1968, os Dragões da Independência ficaram subordinados ao Comando Militar do Planalto.

A unidade é responsável, juntamente com o Batalhão da Guarda Presidencial, pela proteção dos palácios da Alvorada, do Planalto, do Jaburu e da Residência Oficial da Granja do Torto. O cerimonial militar da Presidência da República também é atribuição da unidade.

Os Dragões da Independência

Referência: https://www.camara.leg.br/noticias/121767-exposicao-celebra-200-anos-dos-dragoes-da-independencia/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *