O Início e a Consolidação De Um Dos Maiores Conglomerados Empresariais do País – O Pão de Açúcar

A história de uma das maiores redes de supermercados do Brasil passa, diretamente, pela cidade de São Paulo. A fundação do Pão de Açúcar tem início no dia 25 de novembro de 1929, quando o imigrante português Valentim dos Santos Diniz desembarcou no Brasil.

Diniz veio para o Brasil de navio e, a primeira paisagem que chamou sua atenção foi o Pão de Açúcar, famoso ponto turístico do Rio de Janeiro. Com aquela linda imagem gravada em sua mente, Diniz decidiu abrir uma doceria no ano de 1948 homenageando aquela paisagem.

Valentim Diniz
Valentim Diniz

Nascia, nos Jardins, a Doceira Pão de Açúcar. Anos mais tarde, em 1952,  com o bom desenvolvimento dos negócios, Diniz abre duas filiais e, em 1959, surge o primeiro supermercado da rede, em frente a doceria. Estava dado o primeiro passo do que viria a ser um os maiores conglomerados de empresas do país.

Doceria Pão de Açúcar: primeira loja do grupo criado pela família Diniz
Doceria Pão de Açúcar: primeira loja do grupo criado pela família Diniz

Em 66,  é inaugurada, em Santos, a primeira loja fora da cidade de São Paulo. Em 1968, quando a rede já era composta por 64 lojas, foi criada a Divisão Internacional, com lojas em Portugal, Angola e Espanha. Mas Diniz queria mais. Os anos 70 provaram que sua visão empreendedora estava correta e era possível se tornar  uma das maiores empresas do país.

Durante essa década, seu grupo adquiriu a rede Eletroradiobraz, maior rede de eletroeletrônicos e eletrodomésticos do país, além disso, houve, também, o lançamento da primeira geração de hipermercados do país, as lojas Jumbo. O primeiro hipermercado foi inaugurado em Santo André, cidade do grande ABC, em 1971. O primeiro de muitos que viriam nos anos posteriores.

Além dessa grande inovação, o grupo Pão-de-Açúcar adquiriu várias redes menores de supermercados: Superbom, Peg-pag e Mercantil.  Após essas aquisições, novos formatos de loja foram incorporados ao grupo na década de 1980: Sandiz, lojas de departamento; Minibox, mercearias de desconto; Superbox, loja depósito; e Peg & Faça, de bricolagem.

Em 1981, a fusão de todas as lojas de varejo da rede formam a Companhia Brasileira de Distribuição (CBD). Contudo, no final dos anos 80 o grupo Pão de Açúcar decide fechar as lojas Jumbo, assim, em 1989, surge o Extra para competir na área de hipermercados.

Foi durante a gestão de Abilio que, em 1995, o Pão de Açúcar decidiu abrir seu negócio para ofertas públicas de ações. Com isso, foi possível obter U$$ 112,1 milhões e, curiosamente, essa foi a primeira emissão de ações preferencias de uma companhia do varejo de alimentos na Bovespa.

Em maio de 1997, foram captados US$ 172,5 milhões na Bolsa de Nova York. O Pão de Açúcar foi a primeira empresa varejista brasileira a listar ADRs (equivalente às ações negociadas na Bovespa) em Nova York.

Continua o Projeto de Expansão

Apesar do grande tamanho do grupo, Abilio ainda não estava satisfeito. No ano de 1998, ele adquiriu a rede Barateiro, supermercado de bairro voltado as classes mais populares. Contudo, ele trocaria o nome para a rede CompreBem. Em 1999, adquire a rede Peralta.

Em agosto de 1999, o grupo francês de varejo Casino torna-se sócio minoritário do grupo Pão de Açúcar, com 25% do total das ações. No ano de 2002, adquire a rede Sé de Supermercados e, no ano seguinte, associa-se à rede Sendas, líder do segmento no Estado do Rio de Janeiro.

No ano de 2003, Abilio Diniz assume a presidência do Conselho de Administração da companhia, e Augusto Marques da Cruz Filho é eleito o primeiro presidente não pertencente a família fundadora.

Cinco anos depois, o grupo perde seu fundador em 17 de março de 2008. Valentim dos Santos Diniz morreu aos 94 anos. A década de 2000 termina com a aquisição, em 2009, da rede Ponto Frio. No mesmo ano, o grupo se une às Casas Bahia e se torna maior grupo de distribuição da América Latina.

Em 2011, a disputa pelo controle da rede varejista ganhou os holofotes: Abilio Diniz tentou romper o acordo com o Casino ao propor uma fusão da companhia brasileira com o arquirrival da varejista francesa, o Carrefour.

O Casino, como esperado, vetou o negócio, e a ofensiva da parte brasileira terminou em fracasso. O plano de fusão previa a união dos dois maiores grupos de distribuição brasileiros –o Pão de Açúcar e o Carrefour Brasil– para criar um gigante avaliado em US$ 41,899 bilhões.

A rede, chefiada por Jean-Charles Naouri,  assumiu o comando do Pão de Açúcar em agosto de 2012, em uma troca que já era anunciada desde 2006, quando os franceses compraram o controle do grupo. Em 6 de setembro de 2013, o empresário Abílio Diniz anunciou sua saída do Pão de Açúcar, após fechar acordo com o Casino. Com isso, a família Diniz põe fim a uma história de 65 anos na empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *