Uma História de Preservação Ambiental: A Fundação Parque Zoológico de São Paulo

História de São Paulo Monumentos

O Zoológico de São Paulo, que conhecemos hoje, é uma antiga instituição que foi criada a partir da instrução do Governador Jânio Quadros e a grande iniciativa do Diretor do Departamento de Caça e Pesca da Secretaria da Agricultura, Emílio Varoli, no ano de 1957.

Os primeiros “hóspedes” do zoológico de São Paulo foram leões, camelos, ursos e elefantes adquiridos de um pequeno circo particular que existia na cidade. Já os animais brasileiros, como onças e galos da serra, foram adquiridos em Manaus.

Após meses de intenso trabalho, o Zoo foi inaugurado. A previsão era de que ele fosse aberto ao público em janeiro de 1958, mas devido às fortes chuvas daquele ano, a cerimônia de inauguração teve que ser adiada. Com isso, a data de inauguração oficial é marcada como o dia 16 de março daquele ano.
Chegada da população no dia 16 de março de 1958, data da inauguração do zoológico.
No ano de sua fundação, a entrada do parque era gratuita. Contudo, quando foi criada a Fundação Parque Zoológico de São Paulo, em 59, os ingressos passaram a ser cobrados e a Fundação ganhou personalidade jurídica e autonomia administrativa, financeira e científica.

Foi na fundação dessa entidade que ficaram definidos seus objetivos, como:

– Manter uma população de animais vivos de todas as faunas, para educação e recreação do público, bem como para pesquisas biológicas;

– Instalar em sua área de abrangência uma Estação Biológica, para investigações de fauna da região e pesquisas correlatas;

– Proporcionar facilidades para o trabalho de pesquisadores nacionais e estrangeiros no domínio da Zoologia, no seu sentido mais amplo, por meio de acordos, contratos ou bolsas de estudo.

Consciente de sua responsabilidade no contexto conservacionista nacional, o Zoo de São Paulo tornou-se a primeira instituição brasileira a propor e participar efetivamente em múltiplos programas de recuperação de espécies brasileiras criticamente ameaçadas de desaparecer da  natureza, tais como os micos-leão, os pequenos felídeos neotropicais e araras-de-lear.

Graças aos grandes investimentos e bom trabalho feito por toda a organização da entidade, no ano de 1994 o Guinness Book outorgou o diploma de maior zoológico do Brasil à Fundação Parque Zoológico de São Paulo.

Neste mesmo ano, após atender a todas as especificações básicas contidas na legislação pertinente, a Fundação Parque Zoológico de São Paulo foi classificada na categoria “E”, a mais alta, junto ao Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (IBAMA).

Em maio de 2001, a área ocupada pelo “Simba Safari” foi reincorporada à Fundação Parque Zoológico de São Paulo, sendo reaberta ao público como “Zôo Safári” em 05 de junho do mesmo ano.

Ocupando uma área de aproximadamente 900.000 m², em sua maior parte coberta por Mata Atlântica, o Parque abriga as nascentes do histórico riacho Ipiranga, cujas águas formam os lagos que acolhem exemplares de aves de várias espécies exóticas, nativas, além de aves migratórias.

Hoje, a população global da Fundação Parque Zoológico de São Paulo ultrapassa os 3.200 animais cadastrados, representando: aproximadamente 200 espécies de aves, 100 de mamíferos, 98 de répteis, além dos anfíbios e invertebrados. São encontrados exemplares de espécies bastante raras, como: rinoceronte – branco, arara-spix, arara-de-lear, micos-leão e outros.

Cabe ressaltar que ao longo de seus 47 anos de existência, graças à sua história e ao trabalho e dedicação de seus funcionários, a instituição firmou-se como um centro referencial no contexto conservacionista brasileiro. Em respeito à sua posição de destaque no cenário nacional, acredita-se que é chegado o momento de superar os desafios e avançar em busca de um novo paradigma: a implantação e consolidação do primeiro “BioParque” nacional.

Com uma visitação anual de aproximadamente 1.600.000 pessoas, o Zôo oferece ao seu público visitas monitoradas, cursos para professores, passeios noturnos, apresentações didáticas sobre os animais, dentre outros aspectos de preservação do meio ambiente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *