Uma obra para milhões de pessoas – a história da Av. Aricanduva

A zona leste de São Paulo, dona de uma população de mais de 4.600.000 pessoas é um poço de curiosidades e obras que merecem registro. No resgate histórico de hoje, falaremos sobre a Avenida Aricanduva, que foi entregue à população na administração de Olavo Egydio Setúbal, prefeito entre os anos de 1975 e 1979.

Em um antigo livro de prestação de contas do prefeito, existem dados curiosíssimos sobre o desenvolvimento das obras e especificidades sobre os materiais usados na construção dessa via fundamental para os moradores da ZL.

Dentro da obra, o capítulo “Aricanduva, obra para 2 milhões de pessoas”, já mostra a importância da concretização do projeto. A prefeitura como um todo considerou sua finalização a maior obra da gestão, exceção, claro, ao Metrô de São Paulo. O projeto consistiu em realizar a canalização do Rio Aricanduva e, simultaneamente a isso, construir a avenida por cima, além de aplicar o coletor de esgotos na região.

A canalização do Rio Aricanduva já havia sido iniciada no ano de 1963, mas só foi concluída em 1979, data da inauguração da Avenida, quando essa demanda passou a fazer parte do Programa de Obras Viárias e fez parte de um grande projeto chamado Saneamento para a Grande São Paulo (Sanegran).

Como citado, a obra fora concluída em 1979, com seis quilômetros de rio canalizados e com dez quilômetros de coletor de esgoto, sendo que essa última parte teve uma importante contribuição do Governo do Estado de São Paulo para sua concretização.

Avenida Aricanduva, na época em que foi entregue a população de São Paulo, em 1979

O resultado de tudo isso foi a avenida Aricanduva, que auxiliou na ligação da Marginal Tietê à Estrada de Itaquera e, segundo o parecer da prefeitura à época, a via pretendia facilitar o tráfego entre os bairros “densamente povoados”, como era o caso de Itaquera, Penha e São Miguel Paulista.

 Quando inaugurada, a via tinha duas pistas expressas; duas pistas locais; um viaduto com 1.800 metros de extensão, que estava apoiado em 56 pilares, com vãos médios de 40 metros e um vão central de 70 metros. Ele foi construído para transpor as avenidas Radial Leste, Celso Garcia, os trilhos da Rede Ferroviária Federal (RFF) e a Linha Leste-Oeste do Metrô, atual Linha 3 – Vermelha.

As obras, de maneira geral, movimentaram 1.2 milhão de m³ de terra, 34 mil m³ de concreto, 4 mil toneladas de aço. Também foram pavimentados 200 mil m2, incluindo vias adjacentes e ajardinados 110 mil m³.

Um comentário em “Uma obra para milhões de pessoas – a história da Av. Aricanduva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *