O Maior Nome do Tênis Feminino Brasileiro – A História de Maria Esther Bueno

Um dos maiores nomes do esporte paulistano é o de Maria Esther Bueno, tenista, que conquistou diversos Grand Slam e se tornou uma estrela da modalidade. Nascida no dia 11 de outubro de 1939, iniciou sua carreira pelo Clube de Regatas Tietê, na capital paulista, aos quatro anos de idade.  Sua maior característica era a grande habilidade de se adaptar a qualquer piso.

Apesar de ter sido formada no saibro, conquistou os quatro torneios do “Grand Slam”. Além disso, seu saque era um ponto fortíssimo do seu jogo para os padrões da época, principalmente se levarmos em consideração o peso das raquetes (que eram de madeira), muito superior ao das atuais, feitas em fibra de carbono.

Já na primeira vez em que disputou um campeonato na grama, em Wimbledon, 1958, foi campeã de duplas ao lado da norte-americana Althea Gibson. Conhecida intimamente como Estherzinha, a tenista até hoje é homenageada nos Abertos de Wimbledon, na Inglaterra.

Nos onze anos de maior sucesso de sua carreira, entre 1957 e 1967, a brasileira conquistou 65 títulos internacionais de simples, 90 campeonatos de duplas, 15 de duplas mistas (masculino e feminino) e foi vice-campeã em outras 45 oportunidades. Venceu 170 títulos fora do país e disputou troféus 257 vezes. Esther Bueno foi a primeira mulher a se tornar campeã de duplas nos quatro torneios mais importantes do mundo em uma mesma temporada.

No ano de 1960, conquistou os títulos de duplas nos abertos da Austrália, de Wimbledon, Roland Garros e dos Estados Unidos, feito repetido mais tarde por Martina Navratilova. Em mais de 20 anos de carreira, Esther Bueno conviveu com muitos problemas físicos.

Em 1961, a tenista teve hepatite, mas ainda assim venceu o Aberto da Itália e foi vice-campeã de duplas em Roland Garros. O ano de 1965 foi marcado por contusões, que, no entanto, não a impediram de ser tricampeã na Itália, vice em Wimbledon e na Austrália, além de tetracampeã de duplas no torneio inglês.

Seis anos depois, em 1967, Esther Bueno teve problemas no braço e não conquistou nenhum título de simples do grande circuito. Em Wimbledon, venceu os torneios de duplas e duplas mistas. O ano seguinte foi o da última conquista de um torneio de “Grand Slam”. A tenista foi campeã de duplas no Aberto dos Estados Unidos. Em 1969, as paradas começaram a se tornar mais longas e a brasileira conquistou apenas um vice-campeonato em Caracas.

Disputou Wimbledon em 1974, nove anos depois de sua última final no torneio, chegando às quartas-de-final com 36 anos. Em 1976, após ficar afastada por cerca de cinco anos, Esther Bueno, voltou às quadras para disputar alguns torneios, sagrando-se campeã em Tóquio. Um ano depois, chegou a sua última final, em Dublin, e anunciou a aposentadoria definitiva em Wimbledon.

Seu nome está imortalizado no International Tennis Hall of Fame de Nova Iorque desde 1978 e uma estátua sua, de cera, está no museu Madame Tussauds, de Londres, Inglaterra. Atualmente, Maria Esther Bueno participa como comentarista de diversos torneios de tênis pelo canal de esportes SporTv.

Ficha técnica:

1956: campeã do Orange Bowl (torneio juvenil)

1957: bicampeã do Orange Bowl, campeã do torneio de Fort Lauderdale (primeiro título de aldultos)

1958: campeã de duplas em Wimbledon ao lado de Althea Gibson (EUA)

1959: campeã nos torneios femininos de Wimbledon e do Aberto dos Estados Unidos, vice-campeã de duplas femininas no Aberto dos EUA ao lado de Sally Moore

1960: bicampeã em Wimbledon, vice-campeã do Aberto dos EUA, primeira mulher a ser campeã de duplas nos quatro torneios do “Grand Slam”: Aberto da Austrália (Christine Truman), Estados Unidos (Darlene Hard), Roland Garros (Hard) e Wimbledon (Truman) no mesmo ano.

1961: vice-campeão de duplas com Hard.

1962: campeã de duplas do Aberto dos Estados Unidos com Hard, campeã de duplas mistas em Roland Garros, Wimbledon e EUA.

1963: bicampeã do Aberto dos EUA. Tricampeã de duplas em Wimbledon e vice-campeã nos Estados Unidos com Hard. Conquista 17 troféus no ano.

1964: tricampeã em Wimbledon e no aberto dos EUA, vice-campeã de simples e duplas mistas em Roland Garros.

1965: vice-campeã em Wimbledon e na Austrália e tetracampeã de duplas em Wimbledon

1966: tetracampeã do Aberto dos Estados Unidos, vice-campeã em Wimbledon e campeã de duplas nos dois torneios.

1967: vice-campeã dos torneios de duplas e duplas mistas em Wimbledon

1968: vence seu último torneio de “Grand Slam”, conquistando o título de duplas do aberto dos EUA ao lado de Margaret Court

1977: após várias interrupções e retornos faz sua última final em Dublin e anuncia sua aposentadoria definitiva do tênis em Wimbledon.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *