O Primeiro Cardeal Latino Americano – A História de Joaquim Arcoverde de Albuquerque

Uma das ruas mais importantes da região de Pinheiros homenageia o primeiro cardeal latino-americano: Joaquim Arcoverde de Albuquerque Cavalcanti.

Nascido em Cimbres, no município de Pesqueira, no estado de Pernambuco, Arcoverde era filho de Antônio Francisco de Albuquerque Cavalcanti e Marcelina Dorotéia de Albuquerque Cavalcanti.

Ele nasceu no dia 17 de janeiro de 1850 e, aos treze anos, começou seus estudos no Seminário Menor, em Cajazeiras, na Paraíba. Anos depois, seguiu para Roma onde estudou Ciências e Letras, Filosofia e Teologia, tendo concluído seus estudos no colégio Pio Latino Americano.

Sua vida religiosa teve início com sua ordenação como sacerdote em abril de 1874, na Arquibasílica de São João Latão. Após essa cerimônia, Joaquim foi estudar por dois anos em Paris. De volta ao Brasil, ele se dedicou ao ensino de francês e se tornou diretor do Ginásio Pernambucano de Recife e professor de filosofia e reitor do Seminário de Olinda. Em 1888, foi indicado por Dom Pedro II como bispo auxiliar da Bahia, mas recusou o cargo.

Cardeal Arcoverde
Cardeal Arcoverde

A partir de então, Arcoverde começaria a ser conhecido em todo o país. No dia 26 de junho de 1890, com 40 anos de idade, Dom Arcoverde, como era conhecido, foi nomeado Bispo de Goiás, pelo então Papa Leão XIII, renunciando ao posto apenas  um dia de sua sagração, que aconteceu em 26 de outubro.

Após esse acontecimento, Joaquim voltou ao Brasil e decidiu morar em Itu, no interior do estado de São Paulo. Na cidade, ele passou a dar aulas no Colégio São Luis dos Jesuítas e só deixou esse posto ao ser eleito o bispo titular de Argos, quando recebeu a missão de ir à Europa para contratar as congregações religiosas que deveriam vir ao Brasil para ações missionárias e de educação. Na época ele também foi designado bispo auxiliar de Dom Lino Deodato Rodrigues de Carvalho, arcebispo de São Paulo, quando este estava doente.

Com o falecimento de D. Lino, no ano de 1894, Arcoverde tornou-se bispo diocesano em São Paulo entre os anos de 1894 e 1897. Mesmo exercendo o episcopado em São Paulo por um pequeno espaço de tempo, o então Arcebispo Arcoverde teve grade atuação procurando superar os atritos com o novo regime republicano, principalmente no que se referia à extinção do ensino religioso nas escolas públicas.

Ele foi o responsável por fundar a Federação das Associações Católicas e durante o seu governo foi iniciada a construção de diversas igrejas em São Paulo, como a do Bom Jesus, no bairro do Brás.

Ele também ajudou a fundar a tradicional Paróquia de Santa Cecília tendo nomeado seu primeiro pároco, o Padre Duarte Leopoldo e Silva, futuro primeiro bispo de São Paulo. Na Diocese de São Paulo, também fundou a Paróquia Santuário Nossa Senhora da Assunção Aparecida, em Aparecida de São Manuel. Em 1897, Arcoverde foi promovido a arcebispo metropolitano do Rio de Janeiro.

O Primeiro Cardeal da América Latina

Foi então que, em 11 de dezembro de 1905, no Consistório (Assembleia de Cardeais), realizada na Basílica de São Pedro, no Vaticano, o Papa Pio X, outorgou ao brasileiro a categoria de cardeal.

Dessa maneira, surgia o primeiro cardeal da América Latina. D. Joaquim foi chamado a Roma para assumir o novo posto. Foi elevado a cardeal no dia 11 e sagrado (consagrado) no dia 14 de dezembro de 1905. Em abril de 1906, ele regressou ao Rio de Janeiro sendo recebido com grandes manifestações e homenagens, permanecendo como cardeal arcebispo do Rio de Janeiro de 1897 até a sua morte, em 18 de abril de 1930.

Aspecto da grande Catedral durante visitação público para último adeus ao prestigiado Cardeal Arcoverde em 1930.
Aspecto da grande Catedral durante visitação público para último adeus ao prestigiado Cardeal Arcoverde em 1930.

Ele foi o autor de diversas cartas pastorais e escreveu Síntese de Filosofia, em 1886, e Federação Católica, em 1896. O Cardeal Arcoverde foi o principal responsável pela consagração dos seguintes bispos: Dom Luís Raimundo da Silva Brito, Dom Francisco de Paula Silva, Dom Antonio Augusto de Assis, Dom Agostinho Francisco Benassi, Dom Lúcio Antunes de Sousa, Dom João de Almeida Ferrão, Dom Sebastião Leme da Silveira Cintra, Dom Antonio dos Santos Cabral e Dom Benedito Paulo Alves de Sousa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *