A Padroeira do Viaduto – A História da Igreja Santa Generosa

Poucos paulistanos sabem, mas a primeira paróquia do bairro da Vila Mariana é a Santa Generosa erguida, originalmente, no antigo Largo da Guanabara, atual viaduto que carrega o mesmo nome da santa.

Com a ajuda da população paulistana, no dia 4 de abril de 1915, em um icônico domingo de Páscoa, começou a construção de uma nova Paróquia na região da Vila Mariana. Conhecida como Santa Generosa, a igreja teve como primeiro pároco o Padre Marcello Franco, responsável por inaugurar a matriz, ainda que construída parcialmente, em 1924.

Embora de maneira lenta, as obras prosseguiram por quase 20 anos quando, o Cônego Pedro Gomes, segundo pároco da paróquia, recebeu a notícia de que a prefeitura, por conta das obras de urbanização da cidade, desapropriaria o local. No ano de 1945, as obras acabaram paralisadas e, com a chegada do novo pároco, Alberto Baccilique, e a não desapropriação da igreja, as obras continuaram e a paróquia foi inaugurada em 1950.

Durante 17 anos tudo seguiu como o planejado até que, em 1967, já sob a batuta do Cônego José Mayer Paine, a igreja começou a ser demolida para a passagem da 23 de março e do Metrô da nossa cidade. Começava, então, uma luta para encontrar um terreno capaz de abrigar a paróquia.

Demolição da Igreja em 1968.
Demolição da Igreja em 1968.

No dia 27 de setembro de 1970, erguida onde antes funcionava o salão e a casa paroquial, a nova matriz da Paróquia Santa Generosa foi inaugurada pelo então arcebispo, o Cardeal Agnelo Rossi. Da antiga igreja, foram aproveitados 40 vitrais italianos, lustres e a grande porta central. Algumas casas, entre as ruas Tomás Carvalhal e Afonso de Freitas, foram adquiridas para servir à paróquia como centro social e casa paroquiana.

Construção da nova Igreja.
Construção da nova Igreja.

Uma Pequena Curiosidade: Quem Foi Santa Generosa?

Segundo diversos relatos e, até mesmo, a palavra de algumas autoridades religiosas, Generosa foi, provavelmente, uma jovem escrava que viveu em Cartago, na África, e foi martirizada durante a segunda era de perseguição dos romanos aos cristãos. Dizem que Generosa, mesmo diante da morte iminente, não negou sua fé no cristianismo e padeceu acreditando nos seus ideais religiosos.

Um comentário em “A Padroeira do Viaduto – A História da Igreja Santa Generosa

  • 12 de agosto de 2018 em 11:35
    Permalink

    Gostaria de uma imagem da Santa Generosa, para dar de presente para minha vó. Agradeço.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *