Uma Travessura Paulistana – A História do Juventus da Mooca

A história do Juventus é tão bela quanto sua cor e sua enorme tradição. Fundado por operários do tradicionalíssimo bairro da Mooca, em 20 de abril de 1924, o clube era chamado, inicialmente, de Extra São Paulo e possuía as cores preta, branca e vermelha.

Cerca de um ano depois, no dia 1° de maio de 1925, o clube melhorou financeiramente e conseguiu um terreno para construir a sua “casa”. Com isso, a equipe mudou seu nome para Cotonifício Rodolfo Crespi Futebol Clube.

Rodolfo Crespi
Rodolfo Crespi

Quatro anos mais tarde, a primeira conquista: campeão da Liga Amadora de Foot-Ball, competição organizada pela APEA, a Associação Paulista de Esportes Athleticos, que corresponde ao que seria o Campeonato Paulista da Segunda Divisão nos dias de hoje.

Curiosamente, no mesmo ano em que se sagrou campeão, Rodolfo Crespi, patrono da equipe, completava 50 anos de vida. Em março de 1930, o presidente do clube, Rodolfo Crespi, que era um grande fã da Juventus de Turim decidiu rebatizar o time com o nome de Juventus. Por outro lado, seu filho Adriano era um grande fã do Fiorentina e, para agradar seu herdeiro, decidiu instituir a cor lilás no uniforme. Estava formada a tradição.

Cerimônia de mudança de nome para Juventus – 1930
Cerimônia de mudança de nome para Juventus – 1930

 Anos depois, em 32, o Moleque Travesso conseguiu realizar uma de suas melhores campanhas. No campeonato paulista daquele ano, o time ficou na terceira colocação do atrás apenas do Palestra Itália e do São Paulo.

Depois deste ano, o Juventus retirou-se da disputa de competições oficiais, retornando apenas cinco anos mais tarde. Em 1962, o Juventus ampliou seu patrimônio quando fundou seu parque poliesportivo, localizado no bairro da Mooca.

Em sua história, o Juventus conseguiu revelar nomes de peso, como Julinho Botelho, que disputou a Copa de 1954 na Suíça; Hércules, que jogou a de 1958 na Suécia, quando o Brasil conquistou seu primeiro título; Lima, que atuou na de 1966 na Inglaterra e Félix, presente no tricampeonato de 1970, no México.

Pelo Juventus passou também Tiago Motta, que mais tarde foi jogar no Barcelona e PSG. Outra curiosidade do clube é a passagem do argentino César Luis Menotti, antes de se tornar técnico da seleção de seu país. Depois de um longo período sem títulos, em 1983 o Juventus conseguiu o que pode ser considerado o maior triunfo da sua história: a conquista da Série B do Campeonato Brasileiro.

Dois anos depois, o clube sagrou-se campeão da Copa São Paulo de Futebol Junior. Após mais um longo período sem conquistas, o time conseguiu ser campeão do Campeonato Paulista da Série A2 de 2005, ganhando o direito de disputar a Primeira Divisão em 2006, ano que firmou uma parceria com o PAEC, que mantém um CT e um time para revelar e formar jogadores

Atualmente, o Juventus luta  para tentar voltar à divisão maior do futebol paulistano e recuperar sua grandeza após anos de pouco prestígio. O Juventus também é conhecido por sua fanática torcida que costuma comparecer aos jogos da Rua Javari sempre com bom humor e fé em dias melhores para o clube.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *