O Bairro Do Engenheiro: A História de Artur Alvim

A região de Artur Alvim, na Zona Leste de São Paulo, carrega uma curiosa história de desenvolvimento diretamente ligada à malha ferroviária da cidade. Para começar a entender um pouco mais de sua origem, comecemos pelo nome.

Artur Alvim foi um engenheiro ferroviário e importante funcionário da ferrovia Central do Brasil. O profissional chegou a ser chefe da Seção de Engenharia  na Administração de Herculano Velloso Ferreira Pena. No ano de 1921 idealizou e projetou a construção do chamado Ramal de São Paulo da Estrada de Ferro Central do Brasil que, obviamente, cortava o bairro e contribuiu para a construção da primeira escola municipal da região. Essa estação foi inaugurada no mesmo ano, em 19 de agosto.

As únicas casas da vila em 1943. A imagem foi feita da plataforma da estação, que ainda não possuia prédio.
As únicas casas da vila em 1943. A imagem foi feita da plataforma da estação, que ainda não possuia prédio.

Um pouco antes dessa intervenção, mais especificamente em 1900, a região era um conglomerado de grandes chácaras em um local conhecido como Santa Teresa. Com a chegada do ramal projetado por Alvim, a história dessas terras mudou por algum tempo, enquanto a ferrovia ficou ativa.

Graças à ferrovia, vários bairros surgiram em seu entorno, como a Vila Santa Teresa e a Vial Campanela. Com o passar dos anos e a praticamente extinção do modal ferroviário no bairro, em 1957, quando a estação passou à administração da Rede Ferroviária Federal, a região ficou no esquecimento até que o Metrô chegou em 1987 e mudou totalmente o perfil do bairro.

Passagem de nível ao lado da estação em 1978
Passagem de nível ao lado da antiga estação em 1978.

Como homenagem ao antigo engenheiro, a estação de metrô que atende ao bairro recebeu o nome de Artur Alvim. Outros dois aparelhos ainda homenageiam o antigo patriarca da estação: o Parque Artur Alvim e o Jardim Artur Alvim.

6 comentários em “O Bairro Do Engenheiro: A História de Artur Alvim

  • 17 de dezembro de 2018 em 20:03
    Permalink

    Eu, na minha infância, conheci o Pai de um amiguinho, ele era tratorista , trabalhou no traçamento das ruas, ou melhor ele tratorou os contornos do meu Bairro Cidade Patriarca. nas décadas de 40/50. Eu acredito, tenho fé que algum “mestre de obra” um Engenheiro de obras, tirou algumas fotos deste bairro, quando era campos, matas, pequenos sitios, casas antigas, que ali estavam antes do traçado do Bairro. Gostaria de encontrar essas fotos. Vamos Procurar?

    Resposta
  • 20 de abril de 2019 em 19:24
    Permalink

    Boa noite, meu pai trabalhou na AR PE durante 35 anos nivelou as ruas da patriarca, Arthur Alvim vila Mathilde , com um trator cartepilar depois hubervaco. j.gomes.costa@hotmail.com

    Resposta
  • 18 de junho de 2019 em 22:23
    Permalink

    Prezados… afim de restabelecer verdade histórica, devo informá-los de que, segundo o Jornal do Commercio (RJ); 10/05/1919 – página 2, o engenheiro Arthur Alvim faleceu em Petrópolis (RJ) em maio de 1919, momento em que não era mais funcionário da Central do Brasil desde 1889; portanto, não poderia, nem era sua função, ter projetado a estação que foi batizada com seu nome em 1921. Em breve, publicações com o centenário da morte deste engenheiro e centenário da estação Arthur Alvim serão publicadas com as devidas informações de fontes fidedignas. Recebam meu fraternal abraço! José Carlos Silva Batalhafam.

    Resposta
    • 20 de junho de 2019 em 09:04
      Permalink

      Ajustarei essa informação ainda essa semana. Meus cumprimentos pela pesquisa e educação em transmitir a informação. Abraços!

      Resposta
  • 23 de outubro de 2019 em 12:19
    Permalink

    É errônea a afirmação q o bairro estava esquecido até o metrô. Na verdade a construção de 12 mil unidades habitacionais pela Cohab trouxe AA a vistas em 1978 a 1978. Na inauguração do metrô o bairro já estava bem estruturado, com bancos, escolas, comércio e etc.
    Sou morador desde 1979

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *