Quinze Curiosos Nomes Indígenas De São Paulo

Mesmo com o passar do tempo, a cidade de São Paulo mantém, em praticamente todas as regiões, nomes indígenas em bairros e ruas. Alguns, como o M’Boi Mirim, são poucos conhecidos da nossa população. A título de curiosidade e informação, a SP In Foco separou alguns dos nomes indígenas que estão por São Paulo e seus respectivos significados. Divirtam-se!

M’Boi MirimO começo da história dessa região é datado de 1607, quando foram instalados o Engenho de Nossa Senhora de Assunção de Ibirapuera e a primeira extração de minério de ferro da América do Sul, tudo isso próxima a aldeia indígena de “M’Boi Mirim”. O nome da aldeia, aliás, significa “Rio das Cobras Pequenas” na língua indígena.

Ibirapuera: A região que cerca o Parque do Ibirapuera já foi, em um passado bastante distante, um terreno alagadiço e parte de uma grande aldeia indígena. O próprio nome da região, aliás, reflete sua origem: Ibirapuera quer dizer “pau podre” ou “árvore apodrecida” no idioma tupi.

Mooca: Segundo historiadores, o vocábulo é oriundo do Tupi Guarani e possui duas versões, MOO-KA (ares amenos, secos, sadios) e MOO-OCA (fazer casa), expressão usadas pelos índios da Tribo Guarani para denominar os primeiros habitantes brancos, que erguiam suas casas de barro.

PacaembuO significado desse nome é bastante simples: Terras Alagadas, em função do alto número de rios que haviam na região e que, obviamente, durante as chuvas alagavam e “prejudicavam” os caminhos indígenas.

Anhangabaú: Oriundo do tupi, ele significa rio ou água do mau espírito. A história mais provável, segundo as fontes oficiais de pesquisa da prefeitura, é que tenha sido batizado assim por conta de algum malefício feito pelos bandeirantes aos índios nas imediações desse rio, que hoje passa sob o asfalto no vale.

Tucuruvi: A origem do bairro Tucuruvi vem do tupi-guarani e tem um curioso significado: gafanhoto verde. Diz a lenda que na região localizavam-se diversas fazendas que tinham como atividade serem bases para pastos de criação de gado e que, nesses locais, os gafanhotos verdes eram abundantes.

Cambuci: Talvez o nome mais simples, Cambuci faz alusão a uma fruta verde que quase foi extinta no país.

Itaquera: Com seu nome derivado do tupi-guarani, Itaquera quer dizer “pedra dura”. As primeiras referências sobre a região surgiram no ano de 1620 e o seu primeiro nome era “Roça Itaquera”, localizada próxima  a Aldeia de São Miguel.

Aricanduva: Aricanduva é uma palavra de origem tupi, que significa sítio das plantas aíris, um determinado tipo de palmas. No século XVII o riacho Aricanduva já era mencionado, assim como um arrabalde da cidade de São Paulo de mesmo nome. A origem da Vila Aricanduva data, aproximadamente, de 1.902 ou 1.905, mas, seu desenvolvimento ocorreu por volta de 1.950.

Tietê: O nome de um dos mais importantes rios da nossa cidade, o Tietê, apareceu pela primeira vez em 1748 em um mapa feito por D’Anvile. Existem vários “significados” diferentes para a palavra, mas a mais reconhecida é “água verdadeira” ou “rio volumoso” devido ao grande volume de água que passa por ele.

Anhanguera: Vem de “anhanga”, diabo, e “puêra”: aquilo que se foi ou velho. Foi o nome dado a Bartolomeu Bueno da Silva, um aventureiro português, nascido na capitania de São Paulo.

IpirangaA palavra Ipiranga é oriunda de Ypiranga. Na língua tupi ela junta dois vocábulos: “Y”, significando rio, e “Piranga”, vermelho.

Pirituba: Essa região da cidade de São Paulo é nomeada de acordo com a vegetação abundante de taboa (vegetação de brejo) que existia por ali. Combinando o nome desta vegetação (PIRI) com o aumentativo indígena (TUBA) que significa “muito” deu origem a PIRITUBA.

Pari: É o nome de uma antiga armadilha tupi utilizada para a pesca de pequenos peixes.

Tatuapé: O nome de um dos maiores bairros da Zona Leste tem a ver com um grande ribeirão encontrado por Brás Cubas e, em tupi, quer dizer Caminho do Tatu.

Gostou desse resgate? Então continue conhecendo ainda mais nomes indígenas em São Paulo. Só acessar aqui, aqui e aqui. São mais VINTE E DOIS nomes indígenas separados para vocês. E vamos continuar atualizando essas listas para, cada vez mais, trazer curiosidades a todos!

Veja também

11 comentários em “Quinze Curiosos Nomes Indígenas De São Paulo

  • 9 de novembro de 2015 a 21:57
    Permalink

    O vale do Anhangabu era o cemitério indígena, terra sagrada para os índios

    Responder
  • 3 de março de 2016 a 12:20
    Permalink

    voces podem incluir o bairro de Moema que também tem varias ruas com nomes indigenas.. (al dos aicas, nhambiquaras… maracatins….etc….

    Responder
    • 3 de março de 2016 a 15:08
      Permalink

      Boa sugestão!

      Em breve faço um post com esse tema.

      Abraços!

      Responder
    • 22 de agosto de 2016 a 13:46
      Permalink

      Vem do tupi “iabab”: fugitivo e “kuara”: toca, refúgio. Faz menção ao Sítio da Ressaca, região em que muitos escravos se escondiam ao fugir de fazendas próximas. É importante ressaltar que muitos vocábulos indígenas foram incorporados à toponímia paulista por ser a língua falada pelos bandeirantes.

      Responder
  • 8 de fevereiro de 2017 a 16:42
    Permalink

    Conheci outra tradução para Tatuapé… parte da anatomia feminina… impublicavel! (rs). Parabéns pela pesquisa.

    Responder
  • 8 de fevereiro de 2017 a 19:45
    Permalink

    Muito legal,
    Existe um dicionário de tupi?
    Já procurei na internet e não achei.
    Tenho curiosidade de saber o significado de
    Anhembi
    Tiquatira
    Morumbi
    Itaboraí

    Parabéns!

    Responder
    • 25 de julho de 2017 a 07:46
      Permalink

      Morumbi – colina Verde ( Dicionário Morfológico Tupi-Guarani – Moacyr Costa Ferreira )

      Dicionário Tupi-Português – Luiz Caldas Tibiriçá

      Responder
      • 25 de julho de 2017 a 23:10
        Permalink

        Oi M. Helena,
        Muito obrigado.
        Os dicionários que encontro são muito restritos…

        Responder
  • 10 de agosto de 2017 a 15:30
    Permalink

    Gostaria de saber o significado de Nhocuné

    Responder
  • 12 de agosto de 2017 a 13:06
    Permalink

    ITAIM, do Tupi “Ita” Pedra “im” Pequena. Pedra Pequena.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

%d blogueiros gostam disto: