Um marco da Mooca: a fábrica de tecidos Labor

A Mooca teve um importante papel na industrialização da cidade durante sua rica história. Por ser um bairro operário e cheio de indústrias, como várias que já resgatamos por aqui, é natural que a região tenha ficado marcada por parques fabris e edifícios tombados. A história de hoje, apesar de breve, é a da Fábrica de Tecidos Labor.

O relato, até pelos documentos históricos disponíveis, é breve. A empresa foi construída em 1910, na Rua da Mooca nº815, e sobreviveu até o ano de 1987, quando foi desativada. Um de seus sócios era ninguém menos do que Giovanni Crespi, que era sócio da “Assumpção, Toledo & Companhia”, empresa detentora da Labor.

Giovanni era irmão de ninguém menos do que Rodolpho, proprietário do histórico Cotonifício Crespi, que também marcou época na Zona Leste da cidade. Entre as principais atividades da empresa, estava o trabalho com lã e algodão, matérias primas fundamentais para o crescimento de São Paulo na época.

A Labor foi a responsável por oferecer oportunidades para centenas de italianos que, conhecedores do ofício, encontraram nessa empresa uma chance de futuro melhor e menos “pesado” do que as famosas lavouras de café. Apesar da grande e longeva história, a empresa não possui muitos registros históricos e nem grandes curiosidades.

Pelo menos, não as achei nem na Hemeroteca Digital e nem procurando em outros portais. O destaque moderno fica por conta de que a estrutura da Labor foi tombada pelas entidades que cuidam do patrimônio histórico de São Paulo. Apesar desse tombamento, que evita o “pior”, como a especulação imobiliária, o local sofre com a ação do tempo e a falta de cuidados.

Abaixo, fotos históricas da Labor que ajudam a entender o tamanho de sua importância para a Mooca e, também, para São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *