A história do “bairro cidade”: um registro de São Mateus

A história de São Mateus é análoga à fazenda que pertenceu a João Francisco da Rocha. No ano de 1842, Antônio Cardoso de Siqueira adquiriu essa gigantesca quantidade de terra e a separou em cinco glebas. Entretanto, essa separação não deu certo e, quase 100 anos depois, já na década de 40 do século XX, o local ainda era uma grande fazenda, mas agora chamada Rio das Pedras.

Em 1946, 50 alqueires de terra foram vendidos para a Família Bei, em especial, para Mateo e Salvador, que nomearam o local como fazenda São Mateus. Pouco tempo depois, já em 1948, Mateo Bei, o patriarca da família, loteou o local, buscando que as pessoas se sentissem atraídas pela região e ajudassem com sua urbanização. Para personalizar a importância do local, foi celebrada a primeira missa em ação de graças, no dia 8 de Dezembro do mesmo ano, pelo bispo Dom Antônio de Macedo.

O nome de “cidade São Mateus” foi escolhido por Salvador Bei, em homenagem ao pai. A alcunha de “cidade” vinha da crença dos Bei de que o local tinha tudo para se tornar um município, dado seu tamanho e quantidade de pessoas que poderiam residir por lá.

Importante lembrar que, mais do que o nome São Mateus ser uma homenagem a Mateo, a principal avenida e ponto de referência do bairro, também lembra da memória deste homem. Deixando um legado de conquistas Mateo Bei faleceu em 11 de maio de 1956.

Antiga panificadora São Mateus, hoje Skina – Direita Av. Mateo Bei 

Anos depois, os descendentes da Família Bei ainda adquiriram mais de um milhão de metros quadrados da antiga “Fazenda do Oratório”. Esse terreno também foi loteado, aumentando ainda mais as dimensões do “bairro cidade”.

Segundo a prefeitura de São Paulo, o primeiro ponto comercial do bairro surgiu em 1949, o Empório do Eustáquio, seguido pelo Empório do Marinho, que foi aberto ao público em 1950.

Os lotes da Avenida Mateo Bei valorizavam a cada dia (o valor de um lote de 350 m² custava 7.500 cruzeiros) e a solidariedade foi o fator básico para o crescimento de São Mateus. A Loteadora Bei Filho doava 500 telhas e dois mil tijolos aos novos proprietários (material este transportado das olarias em carros-de-boi), que, através de mutirões, levantavam suas casas.

No ano de 1950, dois ônibus começaram a circular pelo bairro, em especial, até a Avenida João XXIII. Vale a curiosidade de que o percurso era longo, as ruas tinham muitos buracos e os passageiros tinham que dividir o espaço com galinhas e outros animais, fora as bagagens de outros companheiros.

A primeira linha de ônibus oficial do bairro só começou a circular, de fato, em 1952. Era uma linha gerenciada pela Cometa e ia até a Avenida Sapopemba. Outras empresas chegaram no bairro entre as décadas de 70 e 80. vale dizer que o transporte ainda é um dos principais problemas da região, mesmo com a chegada do Monotrilho em dezembro de 2019.

Construção do terminal de ônibus de São Mateus em 1987

A construção de uma escola para São Mateus foi uma luta dos moradores, já que a mais próxima fica a sete quilômetros do bairro, entre a Vila Nova Iorque e Vila Antonieta. A maioria das crianças ia a pé, porque não dispunha de dinheiro para pegar condução. Segundo contam os historiadores, em 1952, o estupro de uma criança de dez anos foi a gota d’água para que outra luta começasse. Somente em 1955, a Secretaria da Educação e Cultura construiu um galpão de madeira para as crianças da região.

Os problemas cresciam e a comunidade teria que ser mais rápida. Outro fato que merece registro é a  fundação da paróquia – da Igreja Católica – que data de 1958. Hoje, São Mateus tem praticamente tudo: bancos, comércio diversificado, indústrias e setores de prestação de serviços.

Resumo da História de São Mateus, por ordem cronológica (dados da prefeitura de São Paulo)

1842 – Uma fazenda de propriedade de João Francisco Rocha, onde se criavam cavalos, carneiros e bois.
Década de 1940 – Mudança de nome para Fazenda Rio das Pedras
1946 – Gleba de 50 alqueires de terras vendida à Família Bei (Mateo e Salvador Bei), início da fazenda São Mateus
1946 – Nildo Gregório da Silva inicia a abertura das ruas, com a ajuda de burros, começando pela Avenida Mateo Bei com a Avenida Rio das Pedras. Trabalhou durante anos na abertura das ruas e, em pouco tempo, assumiu a identidade de um defensor do bairro
1948 – Mateo Bei, o patriarca da família, decide lotear a área, com sucesso de vendas. Casas construídas em mutirão
1948 – “Cidade São Mateus” – nome escolhido por Salvador Bei, em homenagem ao pai, Mateo, com a convicção de que o bairro um dia se transformaria em uma grande cidade
1949 – Surge o primeiro ponto comercial, Empório do Eustáquio, seguido pelo Empório do Maninho, no ano seguinte
1950 – Dois ônibus são colocados em uma linha até à Avenida João XXIII, num longo por ruas cheias de buracos e poeira, com passageiros dividindo espaço com galinhas, animais e objetos. Em dias de chuva, era impossível realizar todo o percurso, sendo necessário várias baldeações
Década de 50 – moradores se organizam para pedir melhorias, como escolas, iluminação, transporte, asfalto, redes de água e esgoto, iluminação pública, delegacias e agência dos Correios.

1952 – Nildo Gregório funda a Associação Divulgadora “A Voz da Colina”, um instrumento para as reivindicações de melhorias da região em diversos setores: transportes, educação, saúde e lazer
1952 – Começa a funcionar a primeira linha de ônibus coletivo da Empresa Cometa, indo até à Avenida Sapopemba. Depois, veio a empresa de ônibus Vila Carrão.
Década de 50 – moradores se organizam para pedir melhorias, como escolas, iluminação, transporte, asfalto, redes de água e esgoto, iluminação pública, delegacias e agência dos Correios.
1952 – Por falta de dinheiro para a condução, crianças iam a pé até a Vila Antonieta, para estudar. Nesse ano, o estupro de uma estudante acirrou a luta por uma escola no bairro
1955 – Surge a primeira escola, num galpão de madeira

1956 – Em 11 de maio, morre Mateo Bei
1958 – Fundação da primeira Igreja Católica
2000 – Instalação do primeiro Cartório de Registro Civil

Referências: https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/subprefeituras/sao_mateus/historico/index.php?p=438

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *