O Resgate da Flora Brasileira – O Jardim Botânico de São Paulo

A história do Jardim Botânico de São Paulo está repleta de tentativas frustradas de implantação e de mudanças de local de instalação, sendo os dois mais importantes na sua história: o local que abrigou o primeiro Jardim Botânico de São Paulo, entre 1799 e 1838, onde está atualmente o Parque da Luz, e o local onde está desde 1928, no Parque Estadual das Fontes do Ipiranga (PEFI).

E a transformação do projeto em realidade é datada do final do século XIX, quando aa preservação da natureza já era uma questão importante tanto para o governo de São Paulo, quanto para sua população.

Pensando nisso, em 1893, a administração pública estadual iniciou o processo de desapropriação de uma vasta área demata nativa ocupada por chácaras e fazendas, a fim de proteger a floresta e as nascentes do Riacho do Ipiranga, localizadas na Zona Sul da cidade.

Até o ano de 1928 a região servia para realizar o abastecimento de água do bairro do Ipiranga e, a partir desse não, o naturalista mineiro, Frederico Carlos Hoehne, foi convidado pelo governo para implantar um horto botânico no local. E o naturalista não decepcionou. Graças ao seu projeto, nasceu o Jardim Botânico de São Paulo, que completou 80 anos em 2008.

O Jardim Botânico foi oficializado em 1938 com a criação do Departamento de Botânica, na época órgão da Secretaria da Agricultura, Indústria e Comércio de São Paulo. Em 1969 o Parque do Estado, onde o Instituto de Botânica está localizado, passou a denominar-se Parque Estadual das Fontes do Ipiranga

Hoje, são 143 hectares abrigando várias espécies vegetais. Em seu interior foram construídas duas estufas – que se tornaram a marca do Jardim Botânico -, uma abriga plantas típicas da mata atlântica, enquanto a outra é destinada a exposições temporárias.

Jardim-Botânico-de-São-PauloNo Museu Botânico encontram-se inúmeras amostras de plantas da flora brasileira, uma coleção de produtos extraídos de plantas, fibras, óleos, madeiras, sementes e também quadros e fotos representativos dos diversos ecossistemas do Estado.

Entre as atrações, destaca-se o Jardim de Lineu, cuja estrutura paisagística é inspirada no Jardim Botânico de Uppsala, na Suécia. Suas duas estufas são repletas de plantas nativas da mata atlântica e, duas vezes ao ano, acontece uma exposição de bromélias. Outra visita imperdível é ao Orquidário, com mais de 400 diferentes tipos de flores dessa espécie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *