Quanto Custa a Mudança de Nome da Estação Vila Mariana?

Ontem tivemos a notícia de que pode acontecer uma mudança no nome da estação do Metrô Vila Mariana. Segundo a ideia “genial” do deputado André Soares, filho de R. R. Soares, o plano é colocar o nome de Enéas Tognini junto à nomenclatura oficial.

Além de absurdo querer vincular a religião ao cotidiano das pessoas, afinal o estado é laico, isso vai gerar um custo absurdo para a nossa cidade. Apesar de não termos dados oficiais, resolvemos buscar informações anteriores da nossa cidade para termos uma ideia do quanto isso vai nos onerar.

Em 2006, o jornal Folha de São Paulo fez uma matéria sobre a alteração dos nomes das estações Barra Funda, Bresser e Tietê que, respectivamente, agora são conhecidas por: Palmeiras – Barra Funda, Portuguesa-Tietê e Bresser-Mooca. A grande curiosidade fica por conta dos valores da época: R$ 2,2 mi para mexer em toda a comunicação visual que envolvia as estações.

O valor, por estação, ficou na casa dos R$ 750 mil. Se usarmos a calculadora da Folha, que mede a inflação entre o período selecionado, em NENHUM DOS ÍNDICES selecionados o valor fica abaixo de R$ 1. 3 MILHÃO DE REAIS para mudar o nome de uma histórica estação.

Temos que levar em conta, também, que hoje temos mais estações do que em 2006, fato que, com certeza, vai elevar ainda mais o valor dessa “lei”.  O deputado que propôs a alteração, André Soares (DEM), justificou a ideia argumentando que o homenageado, um pastor batista nascido em Avaré (SP) em 1914 e morto no ano passado, foi, nos anos 1960, “um dos grandes líderes do avivamento espiritual, que originou a Convenção Batista Nacional (CBN).

E aí? Vale essa mudança? Ou é mais uma bobagem parlamentar?

7 thoughts on “Quanto Custa a Mudança de Nome da Estação Vila Mariana?

  • 29 de dezembro de 2016 em 03:58
    Permalink

    Por sermos iguais perante a lei, a homenagem áo PR. Enéas Tonini é justa e válida. Concordo com o projeto, por esse motivo.só quem aplica o viés ideológico para ignorará isonomia,

    Resposta
  • 29 de dezembro de 2016 em 06:25
    Permalink

    Estação Vila Mariana já está sedimentada na memória dos usuários do metrô. Esse nome é em homenagem ao bairro onde se localiza a estação. O nome Estação Vila Mariana, não causa dor, vergonha, desconforto, e muito menos custo ao contribuinte. Vá arranjar o que fazer para aparecer vereador André Soares (DEM-SP), como sugestão, se deixe contratar para fazer uma lavagem de roupa, tire imagens desse honrado trabalho e torne público. Pare de agir como ‘fundamentalista evangélico’, pois, mudar o nome da estação Vila Mariana é movida por seu inaceitável fundamentalismo contra Maria, a mãe do divino mestre Jesus. Dois detalhes importantes: primeiro, André Soares nem é usuário do metrô; segundo, o (DEM), é o partido do Kassab que não é de direita, nem de esquerda, nem de centro, o Kassab é de negociatas, é de esquina.

    Resposta
  • 29 de dezembro de 2016 em 08:14
    Permalink

    Esse RR Soares já é considerado um charlatão enganador do povão ignorante e vagabundo, o sobrinho parlamentar é outro que não é diferente. Esperar o que dessa corja? é fácil fazer bobagem com dinheiro dos outros. Deixa isso quieto e vão trabalhar seus vagabundos.

    Resposta
    • 29 de dezembro de 2016 em 08:17
      Permalink

      Eu disse sobrinho, mas é filho do RRSoares… pior ainda. A genética imprestável é mais forte ainda.

      Resposta
  • 29 de dezembro de 2016 em 09:01
    Permalink

    Isso é o que acontece quando o povo vota nestes inconsequentes e oportunistas que usam a religião como meio de vida. Povo bobo que não tem noção de nada e põem estes homúnculos descerebrados para gerir sua cidade.

    Resposta
  • 31 de dezembro de 2016 em 07:33
    Permalink

    Um absurdo isto. Vários políticos só fazem projetos como este, que se aprovados, iriam desperdiçar dinheiro público num país endividado e causariam confusão para os usuários.
    Temos que aperfeiçoar a lei de responsabilidade fiscal, cobrando do político todo gasto que for considerado dispêndio desnecessário. Pois o administrador tem que começar a usar o dinheiro público como se fosse o seu. Sem esbanjar.

    Nem que seja apenas por medo de numa condenação administrativa futura ter que pagar do próprio bolso esse desperdício. Já que bom senso parece ser uma qualidade pouco comuns entre eles.

    Resposta
  • 31 de dezembro de 2016 em 11:41
    Permalink

    Coisa de gente que só quer aparecer… não tem nenhum fundamento social nem presta serviço à comunidade. Alguém mande esse André Soares começar a trabalhar de verdade e se redimir perante a sociedade. Já estamos cansados de tanta hipocrisia e empenho no que não é prioritário. Fica a dica especialmente para quem votou nele!

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.